Only Darkness
Seja bem vindo, se você já é cadastrado faça o login para acessar o fórum, caso contrário registre-se!
Últimos assuntos
» 2014
Dom 5 Jan 2014 - 19:07 por AndBecker

» Chat: E ae galera, como vão?
Qua 16 Out 2013 - 19:13 por Anjjeperura

» Espadas, Honra e Sangue - Canto I de Allen
Sex 6 Set 2013 - 18:16 por Rolador de Dados

» A investida do leão - Canto I de Daewron
Qua 28 Ago 2013 - 0:22 por Miac

» Canto II - Vous pouvez ne pas aimer l'avenir
Sex 28 Jun 2013 - 10:35 por Stian

» Capítulo 2 - Ato II - The Choice
Qui 27 Jun 2013 - 18:51 por Oliveira

» Canto II - Le ciel noirci
Qui 27 Jun 2013 - 10:27 por Anjjeperura

» Canto II - Ma faim suce votre vie
Qui 27 Jun 2013 - 9:37 por Miac

» Canto II - La tête du corbeau
Qua 26 Jun 2013 - 18:29 por Danto

» Capítulo 3 - Ato III - Numb
Sab 15 Jun 2013 - 10:21 por Miac

» ─ Capítulo I, Ato I, II e III ~ Segredos do Avatar. ─
Sex 14 Jun 2013 - 1:57 por Danto

» ─ Capítulo I, Ato I, II e III ~ Despertando Através do Oculto. ─
Seg 10 Jun 2013 - 17:57 por Anjjeperura


Canto I - Gabriel Falasca

Ir em baixo

Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Danto em Qui 25 Abr 2013 - 15:19



Paris, 12 de Março de 2012. Passy, décimo sexto arrondissement. Capela Tremere.

A chegada no dia anterior à cidade de Paris foi muito mais calma e tranquila do que qualquer espectativa que Gabriel poderia ter construído. Um hotel provisório havia sido escolhido com antecedencia, a noite de sono, exatamente por esse motivo, não havia sido das melhores. Mas é claro que isso não seria um fator de grande incômodo, não na ocasião que o aguardava. Já instruido por seu mentor, Gabriel tinha conhecido da influência e poder da família Tremere local. O maior exemplo dessa influência era a duradoura permanencia do Senescal Dominic, que estava prestes a completar meio século no mesmo cargo... Fatos que impressionavam e motivavam o constante fluxo de jovens Tremeres à visitar a capela local, capela esta que fora berço de um dos mais notáveis membros da família, o pródigo Angus Burnier, um poderoso ancião que tornou-se protagonizou uma ascensão louvável dentro do clã, mas que recentemente desapareceu dos "holofotes". De fato, Paris era um local que poderia fornecer algo à mais nas pesquisas de Gabriel.
O despertar no hotel provisório procedeu sem grandes problemáticas, assim como o caminho que o mesmo tomou logo em seguida: A capela. O caminho feito dentro de um táxi local até as próximidades do décimo sexto distrito (arrondissement) resultou em uma constatação, Paris é uma belíssima cidade. Sua arquitetura, seu urbanismo, até seus pequenos detalhes como faxadas de lojas e pedestres. Era um ambiente incrivelmente diferente, se comparado à qualquer cidade norte-americana. O taxi parou. O ancillae da família Tremere desceu e caminhou a pé por alguns poucos metros, até adentrar na capela. Aos olhos dos outros, sejam estes qualquer um que não possua o vitae Tremere, a capela era apenas um dentre tantos outros comércios locais. Assim como deveria ser, apenas os Tremere eram capazes de encontra-la.


Interior da capela, hall de entrada. Imagem ilustrativa.
O primeiro ambiente dentro da capela era um hall de entrada, um belíssimo hall. Duas escadas que se seguiam pelas laterais, rodopiavam em um desvio perfeitamente esculpido e culminavam em duas pequenas abóbodas, que vistas da entrada do hall, mas pareciam superficies que seriam perfeitamente usadas em pronunciamentos curtos. Ao fundo, duas portas de vidro que dariam acesso aos demais corredores e partições, onde provavelmente aconteceriam as reuniões dos circulos mágikos mais altos. Acima, uma grande porta, que pela lógica, seria a sala do Regente. O local estava completamente vazio, a não ser pelo som dos passos que vinham do andar superior. Passos leves e calmos de um sapato social. Em seguida, surgiu a imagem de um homem de idade avançada e uma barba branca bem fechada e volumosa.
-Boa noite senhor Falasca. Estava aguardando por sua chegada.
Pronunciou-se em um frânces típicamente nativo e com poucas variações de algum sotaque que poderia ser compreendido como influência do frânces medieval, ou até mais antigo à este. Alguns segundos olhando para o homem e não restavam dúvidas, era o Regente da Capela Tremere de Paris.

Spoiler:
Primógeno Tremere: Charles d' Guise


Última edição por Danto em Dom 19 Maio 2013 - 15:05, editado 2 vez(es)

_________________

Danto
Danto
Fundador
Fundador

Mensagens : 226
Data de inscrição : 10/03/2011
Idade : 27
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Qui 25 Abr 2013 - 15:51

Suas pesquisas o levaram a Paris como seu senhor havia lhe pedido. Não sabia se era por medo que Landa o libertava de seus ensinamentos ou porque necessitava continuar suas pesquisas mais secretas sozinho em Filadélfia. O que mais interessava a Gabriel era seu interesse exacerbado nas linhas que poderiam ser disponibilizadas na Capela de Paris.

Tinha algumas informações da cidade e de seus membros, bem como do Regente da Capela e do Senescal da cidade. Informações eram bem importantes, isso era um fato. Não havia visto Paulo, seu carniçal por enquanto. Talvez estaria arranjando tudo para uma possível aquisição de moradia na cidade. Não resolveu entrar em contato, pois desejava seguir diretamente a Capela. Tomou um banho e vestiu-se de terno e gravata para seguir então a Capela.

Pegou um táxi e enquanto o automóvel ganhava as ruas ele pôde observar a beleza arquitetônica da cidade luz. Realmente tudo ali era belíssimo. Tudo parecia cheio de história até as raízes de sua fundação. Não demora muito para chegar próximo a Capela e com a desconfiança Tremere que tinha no sangue ele desce do taxi, paga-o e caminha por alguns momentos até adentrar a Capela que parecia tão normal como a existente em Filadélfia. Deu um meio sorriso enquanto pé ante pé ele adentrava o local.

A Capela era bem organizada e estava completamente vazia. Um breve olhar analítico de Gabriel fizera com que deduzisse onde estaria o aposento do Regente e onde ficariam as reuniões mágikas mais avançadas que talvez Gabriel poderia ter acesso, mas sabia que teria que ter a confiança do Regente antes de se aventurar livremente pela Capela. Mesmo estando preso ao laço Tremere os membros do clã sempre eram cautelosos e desconfiados.

Sua atenção é voltada para som de passos que vinham de algum lugar até seu ouvido percebê-los e seus olhos conseguiram identificar a figura que se aproximava. Segundo seu senhor era a descrição perfeita do Regente da Capela de Paris. O francês do homem possuía um sotaque que talvez pendesse ao medieval, mas Gabriel não teve certeza sobre isso. E D’Guise já aguardava Gabriel. Também em Francês Gabriel o respondera, mas seu francês possuía um sotaque inglês já que não o utilizava com frequência:

-Boa noite Regente D’Guise. Fico lisonjeado em ser recebido pessoalmente pelo senhor.

O francês de Gabriel poderia não ser perfeito, mas a educação e o respeito pelo qual ele tratava D’Guise eram exorbitantes. A Hierarquia no clã era muito prezada e Gabriel não mancharia seu nome e o nome de seu senhor quebrando uma tradição tão antiga e que até hoje dera tão certo. Não moveu nenhum músculo aguardando a aprovação do Regente para que se movesse em sua direção. Mais uma questão que se relacionada em muito a educação de Gabriel.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Danto em Qui 25 Abr 2013 - 20:34

O homem permanecia no andar superior, acima dos dois lances de escadas. Um simbolismo notório de sua superioridade na hierarquia hermética da casa Tremere. O homem mantinha um ar cordial em sua face e da mesma forma, em suas palavras que seguiram o término das palavras ditas pro Gabriel.
-Seu senhor enviou uma pequena carta de recomendação e curta apresentação. Mas, esta é apenas deixada sobre meus domínios e não chegará ao Principe. Sendo assim, terás que apresentar-se ao Príncipe da cidade o mais rápido possível, entretanto, meu jovem Gabriel. Tenho uma exigência e uma pergunta à você.
O regente fez uma breve pausa, repousando as mãos nos respectivos bolsos de sua calça social e então, retomou a fala:
-Apresente-se de maneira formal à minha pessoa, diga-me sobre tuas linhas dominadas e linhas de interesse, sendo assim, explique-me a cerca das divisões de circulos realizadas em sua antiga capela e em qual circulo local voce estava afiliado. Enquanto a pergunta, bom, seu Senhor notóriamente não é um dos membros de nossa família com a maior das habilidades políticas, sendo assim, presumo que sua presença na cidade não seja relacionada à nenhum estratagema interno e local. Sendo assim, pergunto-lhe, o que você espera de Paris?

_________________

Danto
Danto
Fundador
Fundador

Mensagens : 226
Data de inscrição : 10/03/2011
Idade : 27
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Sex 26 Abr 2013 - 9:54

O Regente da Capela lhe dera finalmente a chance de falar. Mantendo-se imóvel onde estava Gabriel o ouve com toda a atenção possível e sem fazer nenhum movimento percebe que o Regente mantinha aquele ar de superioridade de costume daqueles que possuíam cargos mais altos na hierarquia do clã. Realmente as perguntas eram completamente coerentes devido a chegada recente de Gabriel, que não mentiria sobre seus objetivos. Com sua educação e respeito ele o responde, muito calmo:

-Agradeço pela gentileza desta carta ficar apenas em seu poder e conhecimento regente D’Guise. Assim que possível ir-me-ei apresentar ao príncipe da cidade.

Dera um momento antes de continuar e suas boca moveu-se para responder o restante das questões de D’Guise:

-Meu nome é Gabriel Falasca, sou da sétima parte de Caim. Cria de Landa Crizynsky, regente da Capela de Filadélfia. Domino a Linha do Sangue e possuo um pequeno conhecimento da Linha da Mente do Movimento da Mente e pretendo me tornar conhecedor desta linha em seu maior nível. Ainda não desenvolvi a linha da Dominação e possuo o segundo nível de Auspícios. Estou no círculo de Aprendiz Regente D’Guise.

Aguardou mais um momento para que D’Guise digerisse as informações e suas últimas palavras que saíam como um canto de sereia atravessaram as cordas vocais de Gabriel e tomaram conta do salão:

-Meu senhor me liberou de sua tutela no intuito de que eu possa aprender linhas que existam apenas aqui na Capela de Paris. Venho também para reforçar a força do clã na cidade perante a Camarilla.

Gabriel não conseguiria mentir ao Regente já que estava ligado ao sangue da família de tal forma que mentir seria algo contra seus laços de sangue.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Danto em Sab 27 Abr 2013 - 17:51

-Interessantíssimo meu caro. Devo adiantar-lhe o assunto mais delicado que envolve nossa capela local, o desaparecimento dos membros do sétimo circulo. Salvo por uma única e sortuda, se assim posso dizer, senhorita... A idade de vocês não deve ser muito diferente, creio que tenham a mesma idade de abraço, ou algo muito similar. Apesar desta, estar à largos passos em relação a você na questão de avanços em estudos taumatúrgios. Surpreende-me ao revelar-se como um estutande sem grandes experiências, pelo visto, o homem responsável por sua tutela era um reacionario. Venha, acampanhe-me até minha sala meu caro.

Respondeu o Regente com informações e opiniões que Gabriel nunca seria capaz de prever. Pelo visto, sua chegada à Paris poderia significar muito mais do que o mesmo pretendia.

_________________

Danto
Danto
Fundador
Fundador

Mensagens : 226
Data de inscrição : 10/03/2011
Idade : 27
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Seg 29 Abr 2013 - 5:52

As Palavras de D'Guise lhe impressionaram em muito. No tocante do comentário que havia uma outra cainita na Capela que tinha quase a idade dele e que havia evoluído mais nas linhas taumatúrgicas do que Gabriel. Isso chegou a decepcioná-lo um pouco apesar de saber que seu senhor, Landa, era um pouco pragmático com seus ensinamentos devido a sua cria anterior tê-lo abandonado séculos atrás.

O sumiço de membros do sétimo círculo era uma incógnita. E a única cainita que não desaparecera era a mulher que estava mais evoluída do que ele. Algo interessante até. Esta conseguindo informações sem nem mesmo tê-las solicitado, o que lhe era muito útil e quase sempre acontecia, afinal sua beleza e sua voz encantadora eram muito úteis.

O comentário sobre o senhor de Gabril ser reacionário foi intrigante. D'Guise não era conhecido de Landa? Gabriel achou que aquelas palavras soavam estranhas, mas nada comentou a respeito. Resolveu abrir a boca e sua voz agradável tomou conta do recinto:

-Regente D'Guise...sumiço de membros do sétimo círculo? Isso é preocupante. Alguma pista dos responsáveis?

Começou a caminhar na direção do regente muito desconfiado e preparado para qualquer coisa.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Danto em Seg 29 Abr 2013 - 16:02

-Eu, particularmente, ainda não possuo nenhuma pista concreta. Apenas suspeitos... O Senescal é o responsável direto pelas investigações, digamos que, estamos utilizando dos recursos da Camarilla para obter maiores dados sobre nossos membros desaparecidos.
O Regente sorriu ao citar a Camarilla, já fazendo um movimento de virada de corpor para seguir ao interior da capela, assim que Gabriel já alcançava a escadaria de acesso ao piso onde o próprio regente estava.

(Off: Teste de Consciência + Ocultismo, dificuldade 8, apenas role os dados. Caso tenha sucessos eu lhe enviarei uma pm com as informações necessárias para voce agir no próximo turno!)

_________________

Danto
Danto
Fundador
Fundador

Mensagens : 226
Data de inscrição : 10/03/2011
Idade : 27
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Seg 29 Abr 2013 - 16:12

Rolando dados.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Rolador de Dados em Seg 29 Abr 2013 - 16:12

O membro 'Anjjeperura' realizou a seguinte ação: Rolar Dados

'd10' :

Resultado :
Rolador de Dados
Rolador de Dados
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 46
Data de inscrição : 17/03/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Qui 2 Maio 2013 - 17:42

Gabriel dera um sorriso muito amistoso para o Regente. Os trejeitos de D'Guise não condiziam a um Regente de uma Capela Tremere tão importante quanto a de Paris. Havia algo errado ali, muito errado na verdade. Assim que Gabriel chegou na entrada da escadaria para subir ao mesmo nível de D'Guise ele percebe que alguma coisa no olhar do Regente não estava certo. Imediatamente Gabriel ativou o segundo nível de Auspícios para verificar a aura do Regente que se mostrava a ele e que poderia muito bem não ser o verdadeiro.

Utilizando sua voz encantadora e sua beleza acima da média, Gabriel diz, depois de parar aos pés da escada para subir.

-Regente D'Guise....peço desculpas pela minha intromissão, mas....poderíamos ficar mais algum tempo nesta parte da Capela? Sou um apaixonado por arquitetura e desejaria apreciar um pouco mais este lugar. Não precisamos ficar por muito tempo, só mais alguns minutos.

Dera um sorriso tão brilhante que poderia convencer qualquer um. Somado a sua voz encantadora seria bem mais fácil convencer o Regente, que até o momento parecia falso a Gabriel. Depois que verificasse a aura do Regente ele teria a plena certeza de que deveria fazer alguma coisa, por enquanto não tinha nenhuma pista ou prova contra aquele ser. Por enquanto.

"Realmente esta construção é muito interessante....espero que o Regente aceite meu pedido."

Pensava o Tremere. Sabia que se pensasse alguma coisa sobre acusar D'Guise poderia ter sua mente lida de alguma forma.

________________________
Utilizado o nível 2 de Auspícios para ver a aura de D'Guise.
Pretendo utilizar uma rolagem para convencer D'Guise a ficar mais um pouco ali.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Qui 2 Maio 2013 - 18:06

Testes.

1º para encantar o Regente = Aparência + Empatia

2º Teste para Auspícios = Percepção + Empatia
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Rolador de Dados em Qui 2 Maio 2013 - 18:06

O membro 'Anjjeperura' realizou a seguinte ação: Rolar Dados

#1 'd10' :

#1 Resultado :


--------------------------------

#2 'd10' :

#2 Resultado :
Rolador de Dados
Rolador de Dados
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 46
Data de inscrição : 17/03/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Danto em Qui 2 Maio 2013 - 18:43

A compreensão elevada do poder sanguíneo de clã, não pode auxiliar Gabriel de uma forma completamente útil na ocisão, algo que o próprio entendeu como uma dificuldade de acesso gerada pela própria aura antiga do Regente. Seus olhos puderam ver pouquíssimo, nada além da palidez de sua aura e alguns veios que significavam o uso recente de Taumaturgia. Por outro lado, as intenções de Gabriel pareceram puxar a atenção do Regente, este, sorriu e caminhou até o parapeito e apontou levemente para o teto do local, com um sorriso estranho na face.
-O interior da capela, como pode ver, é inspirado em sua grande maioria no explendor vitoriano. Todos os detalhes do hall de entrada foram construídos à mão por artesões da época e nativos do Império Britânico. Além disso, existem os corredores que se extendem de forma paralela e intercalados apenas pelo mais puro mogno. Como sabes, a madeira é uma excelente base para transcrições de rituais de proteção, logo, esta é a responsável pela estrutura principal de sustentação da capela...
O regente deu seguimento à explicações ainda mais detalhistas da capela, dados quase que "desnecessários e pouco interessantes" a respeito da mesma. E por fim, a intenção de Gabriel de ganhar tempo, finalmente pode resultar em algo realmente excelente para o jovem Tremere. O som de passos adentrando a capela foram interpretados pelos ouvidos de Gabriel como nada menos que "finalmente". A voz que se seguiu, para surpresa de Gabriel e principalmente, surpresa do Regente que não foi capaz de esconder a grandeza de sua surpresa que ficou claramente estampada em sua velha face.
-Meu caro Regente, o que diabos aconteceu com o Senhor?
Era a voz de Angus Burnier, o filho pródigo da Capela de Paris. O membro de maior destaque local e que por muito pouco não ascendeu ao cargo de Principe de Londres.

Spoiler:
Angus Burnier

_________________

Danto
Danto
Fundador
Fundador

Mensagens : 226
Data de inscrição : 10/03/2011
Idade : 27
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Qui 2 Maio 2013 - 19:01

Parecia que o Regente caíra na bela voz de Gabriel. Parecia encantado e de certa forma preocupado com o interesse falso do Tremere. Caso fosse questionado pelos seus atos ele apenas alegaria que sentiu algo de diferente no olhar de De Guise e por isso resolveu investigar.

Enquanto De Guise explicava sobre a fundação da Capela, Gabriel tentara de certa forma em vão verificar o que ocorria com o regente. A única coisa que conseguira ver eram os veios a respeito do uso de Taumaturgia recente e a aura pálida comum a qualquer cainita. Gabriel passava a mão por sobre o corrimão que levava a De Guise como se analisasse aquela madeira em conformidade com as explicações do Regente.

-Fascinante Regente. Fascinante.....

Quando apontou o dedo para o teto do local, Gabriel levantou os olhos para o local como se estivesse realmente interessado na história da Capela. Deveria manter a mentira até terminar e para isso iria ouvir cada sílaba sobre a história da capela da boca de De Guise.

O problema era que De Guise possuía muitas informações a respeito do prédio e o tempo que Gabriel queria lhe dera uma surpresa inesperada, mas não tanta quanto a que estava estampada na face do Regente. Gabriel olhou de De Guise para o homem que acabara de adentrar a capela e vice versa.

O Tremere não disse absolutamente nada. Ficou parado ali aos pés da escada que levavam ao Regente, aguardando orientações. Não iria quebrar uma regra de etiqueta tão antiga se apresentando sem a permissão d o anfitrião e Regente da Capela. O homem parecia conhecer De Guise.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Danto em Sex 3 Maio 2013 - 20:00

-Senhor Burnier, eu não esperava pelo seu retorno... O que você faz adentrando a capela e referindo-se à mim desta forma? Sabendo que eu sou o Regente local.. e interrompendo à apresentação deste novo membro, recem chegado à cidade, o jovem Gabriel Falasca, prole de Landa Crizynsky.
Disse com alguns tropeços na frase o regente, em contrapartida, o tal Senhor Burnier continuava caminhando na direção da escadaria e não demorou muito para que o mesmo desse início a caminhada degraus a cima. Com uma postura confiante e uma expressão séria em seu rosto. Os vários anéis em seus dedos e vários cordões atraiam a atenção de Gabriel. Mas algo em especial atraiu seus olhos, um anel, com o simbolo de nada menos do que a Ordem de Hermes.
-De fato, você um dia foi o Regente da capela local. Até descer ao patamar em que se encontra. As práticas mágikas que cometeu custaram à vida de outros, expos os membros do mais alto ciclo local à tamanha desonra e por fim, morte final. Eu estou aqui por apenas um motivo, e pouco me importo com a presença de um novo membro da capela de Paris. Estou aqui para reduzi-lo a pó.
Burnier falou com um ar sério e pesado, seus olhos não pareciam conhecer nenhum tipo de sentimento. Ao contrário da postura que o regente passava a assumir. Recuando vagarosamente em passos cheios de pavor e tremulos.

_________________

Danto
Danto
Fundador
Fundador

Mensagens : 226
Data de inscrição : 10/03/2011
Idade : 27
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Seg 6 Maio 2013 - 10:04

Gabriel apenas observava e ouvia as considerações e a conversa sobre o retorno do recém chegado identificado como Burnier. O Regente não aparentava ser muito bom com as palavras ou ele parecia um pouco desconfortável com a chegada do estranho e poderia estar devendo para com as leis Tremere. O problema era que Gabriel estava em um impasse. Já que os dois homens a sua frente faziam parte de seu clã ele não poderia atacá-los ou tomar qualquer partido contra ou a favor deles devido ao laço de sangue com os antigos do clã.

Burnier começava a dar alguns passos na direção da escada e já conseguia galgar alguns degraus enquanto Gabriel estava ali, ao pé da escada. Não sabia ao certo o que estava acontecendo e não sabia mesmo como agir. Tomar parte do Regente mesmo achando-o um pouco suspeito ou tomar parte do estranho que o estava ignorando? Decisões a serem tomadas e que por enquanto nada for solicitado a Gabriel.

Mas uma coisa lhe fez agir de forma pouco natural. Um anel nos dedos do senhor Burnier que denotava ser da Ordem de Hermes. Além de dizer que iria reduzir o Regente a pó. Algo completamente contra os preceitos da Capela. Com sua voz encantadora e beleza, Gabriel se vira a Burnier e diz, evitando a subida escada acima do possível irmão de clã:

-Perdão senhor Burnier, mas...o que está havendo aqui? O senhor poderia, por gentileza explanar a situação? Estou de certa forma confuso....juntando as ações do Regente e sua fala parece que ele é culpado de alguma atrocidade. Não seria mais palpável levá-lo a um julgamento perante os antigos em vez de reduzi-lo a pó e ser caçado pelo nosso clã?

Dera um belo sorriso enquanto impedia a passagem de Burnier. Gabriel tentava utilizar-se da diplomacia que aprendera sozinho, já que Landa não era nada sociável.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Danto em Seg 6 Maio 2013 - 20:52

O Regente da capela, o idoso senhor d' Guise deixou um pequeno sorriso em sua face quando a ação de Gabriel se completou. O homem caminhou até o parapeito e apoio a sua mão sobre a madeira de apoio, olhando para o Senhor Burnier e colocando um ar de superioridade em sua própria postura e entonação.
-De certo, Senhor Burnier, creio que você não queria sofrer com uma nova caçada não é mesmo meu querido?! Sendo assim, diga o que você realmente pretende e saiba que a próxima ameaça que direcionar à mim, dentro de minha capela, não ficará impune.
Sr. Burnier olhou pela primeira vez diretamente para Gabriel. Abrindo um pequeno sorriso que de alguma forma, era carismático e gentil. Mas as palavras que se seguiram foram ainda mais surpreendentes e inesperadas.
-Falasca correto? Muitíssimo bem vindo és em Paris. Mas sinto dizer-lhe que sua apresentação culminou em uma noite delicadíssima, mas veja isto com um bom sinal, sua chegada simboliza uma mudança em todos os âmbitos da casa Tremere local. Por exemplo. Estas agora diante do novo Primógeno Tremere. E ainda teve a sorte de conhecer o antigo Regente...
Ele fez uma pausa e deixou um sorriso de deboche se formar no rosto, levantando os ombros em um sinal de desdem completo pelas palavras e pela imagem de d' Guise, para então dar sequência ao raciocínio.
-Eu não tenho motivos para temer uma caçada meu caro d' Guise, à mim foida dada a missão de exterminar a sua existência pelo próprio Lorde Etrius. Sua falsa conduta, assim como a ausência de sua alma, esta que já era mais tocada pelo demônio do que o compreensível, foram apenas as razões básicas que garantiram a tua morte verdaira.

Off: Ultima ação antes do meu post final desse canto.

_________________

Danto
Danto
Fundador
Fundador

Mensagens : 226
Data de inscrição : 10/03/2011
Idade : 27
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Anjjeperura em Ter 7 Maio 2013 - 9:38

Tudo havia mudado. As ações e falas de De Guise se tornaram mais confiantes devido as palavras de Gabriel sobre Burnier estar a mercê de uma possível caçada pelos Tremeres e talvez pela Camarilla. E além disso as palavras de Burnier dizendo que ele era o mais novo primógeno Tremere de Paris colocaram Gabriel em uma saia justa terrível. Mas haviam acusações de Burnier sobre De Guise que se tornaram muito sérias.

”Bem que percebi que o olhar de De Guise não era muito.....como posso dizer, confiáveis. Então ele não utilizara apenas a Taumaturgia, poderia estar envolvido com demônios? Diablerie? Ah se eu estivesse sozinho com De Guise e com estas prévias informações. Poderia tê-lo caçado ou ainda diablerizado o Regente e ficado ainda mais forte....uma pena....”

Pensava o Tremere. Mas era tarde. As boas vindas de Burnier criaram um sorriso na face de Gabriel. E após este sorriso sua voz melodiosa mais uma vez se fez presente:

-Fico deveras agradecido pelas boas vindas Primógeno Burnier. Peço imensas desculpas pela minha insubordinação perante o senhor, mas acabei ficando completamente dividido sem tomar conhecimento dos fatos.

Olhou para De Guise e meneou a cabeça negativamente, fazendo sua boca abrir-se e suas cordas vocais ressoar mais uma vez:

-Regente De Guise.....o senhor está envolvido em maquinações contra seus próprios irmãos? Como isso é possível? Então fora o senhor que assassinara os outros Tremeres na cidade?

Lorde Etrius fora mencionado por Burnier e por esta razão Gabriel não acreditaria mais em De Guise. Uma pena realmente. O sangue do Regente parecia tão poderoso quanto o de Burnier e seria uma aquisição maravilhosa para Gabriel através da Diablerie. Mas é claro que esta opção estava descartada por motivo da presença de Burnier.

-Por gentileza Primógeno Burnier. Fique a vontade para completar os eu trabalho. Não irei me opor a ordens de Lorde Etrius, senhor Primógeno.

Agora eram dois Tremeres contra De Guise. Mas Gabriel mantém-se atento para caso De Guise utilizasse qualquer artimanha para tentar escapar de Burnier. Não poderia deixá-lo escapar de forma nenhuma. Mas o pensamento de diablerizar De Guise era constante.

-Se renda De Guise. Não há como escapar.
Anjjeperura
Anjjeperura
Rpgista
Rpgista

Mensagens : 48
Data de inscrição : 24/04/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Canto I - Gabriel Falasca

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum